Logo

Artigos - Visualizando artigo

Desafios do controle financeiro em meio ao coronavírus

Desafios do controle financeiro em meio ao coronavírus

 

Listamos, a seguir, alguns dos principais desafios enfrentados pelas empresas de todos os portes com a pandemia e, principalmente, com a quarentena e o isolamento social.

Incerteza sobre o futuro

 

O primeiro problema enfrentado pelas empresas é a incerteza quanto ao futuro. Quanto tempo a quarentena vai durar? Até quando os pedidos ficarão estagnados? Quando os fornecedores vão efetuar os pagamentos? 

 

Toda essa incerteza impede de projetar o futuro e de enxergar, no curto prazo, uma saída simples para o problema.

Queda no faturamento

 

Boa parte das empresas estão enfrentando uma queda de faturamento durante a pandemia. Em alguns casos, as prefeituras e governos estaduais decretaram o fechamento dos serviços não essenciais, e as empresas se veem obrigadas a parar todas as atividades.

 

De acordo com levantamento realizado pelo JPMorgan Chase Institute nos Estados Unidos, o tempo médio de sobrevivência das empresas sem faturar é de 27 dias. Dependendo do setor, esse prazo pode ser maior ou menor.

 

Em todo Brasil, empresas estão notando uma queda no número de clientes e de pedidos, o que configura um golpe duro sobre as receitas projetadas

 

Atrasos nos pagamentos

 

Além da queda no faturamento, as empresas estão enfrentando atrasos nos pagamentos por parte de fornecedores e parceiros.

Dessa maneira, fica ainda mais difícil projetar as receitas e despesas para os próximos meses, porque até mesmo aquilo que já foi vendido tem o pagamento incerto.

 

Folha salarial em meio à paralisia

 

Como pagar os funcionários com a empresa fechada? Quanto tempo dura o caixa da empresa com essa despesa fixa, sem que haja novas receitas? 

Para lidar com esse problema, algumas empresas estão dando férias coletivas, utilizando banco de horas ou antecipando feriados, conforme previsto na Medida Provisória editada pelo Governo Federal.

Mesmo assim, dependendo da situação financeira da empresa, a demissão pode ser a única saída. 

No fim de março, a controladora da rede KFC no Brasil demitiu 30% dos seus funcionários. Nos Estados Unidos, os pedidos de seguro-desemprego superaram os 3 milhões na semana do dia 15 a 21 de março, caracterizando um recorde histórico.

Como controlar o financeiro para superar o coronavírus

 

Faça uma projeção de despesas

Por mais complexo que seja projetar o futuro em um momento de completa incerteza, vale a pena projetar as suas despesas ao longo dos próximos meses, se a situação não mudar.

Assim, você se prepara para o pior cenário, e descobre quanto precisa para arcar com as suas contas. Esse é o primeiro passo para fazer o controle financeiro durante o Coronavírus.

Gaste apenas o essencial

 

Outra atitude fundamental do controle financeiro para enfrentar o Coronavírus é a redução de gastos. Como as receitas diminuíram drasticamente, você precisa gastar apenas com o que é essencial para o futuro da empresa. 

 

Segure os investimentos

Isso significa que aquele investimento que estava previsto ainda para o primeiro semestre vai precisar esperar algumas semanas ou meses. Não é hora de investir, porque você não sabe como estará a situação da sua empresa no futuro.

 

Priorize as pessoas

Em um encontro com economistas e empresários promovido pela XP Investimentos no dia 25 de março, o empresário Abílio Diniz, que é membro dos Conselhos de Administração do Grupo Carrefour e do Carrefour Brasil, foi claro: “Para o pequeno empresário: pague as pessoas e o resto, paciência. Algumas coisas serão prorrogadas. Vai passar".

 

Neste momento de calamidade pública e isolamento social, é uma ótima ideia priorizar o pagamento da folha salarial, para depois arcar com as outras obrigações.

 

Outras alternativas para lidar com os recursos humanos são antecipar férias e feriados, além de usar o banco de horas dos funcionários. Cada emprego mantido é um emprego a menos que precisa ser recuperado quando a crise passar, além de uma pessoa que terá mais capacidade de enfrentar o período de quarentena. 

Negocie prazos com os fornecedores

 

Vale a pena entrar em contato com os seus fornecedores para negociar os prazos de pagamento diante da crise. 

 

Uma possibilidade é tratar com mais urgência o pagamento dos parceiros menores, e deixar as empresas maiores, que devem sobreviver à crise sem grandes percalços, para depois.

Adie o pagamento de impostos

A primeira medida anunciada pelo Governo Federal às micro e pequenas empresas foi o adiamento do recolhimento do imposto do Simples Nacional por três meses.

 

De acordo com o Governo, essa medida vai significar uma renúncia temporária de R$ 22,2 bilhões da União. A atitude deve beneficiar 4,9 milhões de empresas. Sem essas obrigações, você tem um fôlego extra para arcar com as outras despesas. 

Acesse linhas de crédito para capital de giro

Entre as medidas anunciadas pelo Governo Federal para combater a crise está uma linha especial de crédito junto a bancos públicos, para beneficiar os micro e pequenos empresários que precisam de capital de giro para se sustentar.

 

Informe-se junto ao seu banco preferido e faça os cálculos para descobrir se o empréstimo vale a pena na sua situação.

Venda vouchers

 

Uma das estratégias mais inteligentes para lidar com a crise é vender vouchers antecipados aos clientes.

Diversos prestadores de serviço, como barbearias, restaurantes, centros de fisioterapia e consultórios em geral estão adotando a técnica de vender os serviços antecipadamente: o cliente paga agora, com um desconto, e pode usufruir do serviço quando a crise passar.

 

Assim, o cliente recebe um desconto no futuro, e você garante um pouco de capital de giro no presente. 

Faça promoções

Que tal aproveitar o momento de faturamento reduzido para se livrar daqueles itens que estão encalhados no estoque? 

Utilize a Internet e faça promoções dos seus produtos, com entrega a domicílio. Assim, você faz controle de estoque, garante um pouco de capital de giro e se livra do produto que estava ocupando espaço.

 

Crie um sistema de entregas

 

A restrição de circulação levou muitas pessoas a encomendarem todo e qualquer tipo de produto e serviço. 

Além dos restaurantes, que já estavam habituados ao sistema de entregas, outros estabelecimentos estão investindo nisso, como farmácias, supermercados, fruteiras e lojas de produtos naturais.

Se essa é uma opção para sua empresa, vá em frente. As redes sociais, como Instagram e WhatsApp, são parceiras estratégicas nesse momento.

 

Adote o home office

 

Se você nunca pensou em implementar o home office na sua empresa, a hora é agora.

Há diversas ferramentas que facilitam o trabalho remoto, tanto no que diz respeito a reuniões, acesso ao sistema administrativo, gestão empresarial, etc.

Se o setor no qual sua empresa está inserido permite essa possibilidade, vale a pena investir e garantir que o faturamento não seja totalmente afetado em meio à crise.

Prepare-se para a retomada

 

Por mais complexo e prolongado que seja esse processo de enfrentamento da pandemia, ela vai passar. 

As empresas que sobreviverem à crise e se planejarem para a retomada terão mais condições de recuperar rapidamente

Por isso, vale a pena gastar algum tempo dessa quarentena projetando novos produtos ou conhecendo o mercado, para sair na frente da concorrência quando a quarentena terminar. 

 

Embora a prioridade de todos nesse momento seja interromper o contágio da Covid-19 e preservar vidas, as empresas também precisam de atenção imediata para garantir empregos e a retomada da economia quando a tempestade passar.

Blog Conta Azul


Voltar


Compartilhar

Todos os direitos reservados ao(s) autor(es) do artigo.

topo site
ajuda-chat
ajuda-chat
ajuda-chat_open